Nós somos a Casa do Pai

Uma ONG (organização não governamental) que mantém casas lares em Curitiba, no Paraná – Brasil, e que acolhe crianças que estavam em situação de vulnerabilidade social.

vamos Juntos construir
um mundo melhor

A CASA DO PAI mantém 2 casas lares que acolhem 10 crianças cada. 
Essas 20 crianças recebem todo o carinho e cuidados de um lar!
Que tal VOCÊ contribuir para dar a ELAS um FUTURO com mais perspectivas!?

Anos
Crianças Atendidas
Famílias Atendidas

Nossos Projetos:

O trabalho que a psicologia social desenvolve na Casa do Pai visa promover não
somente as necessidades básicas dos acolhidos, mas também proporcionar um
ambiente afetivo e acolhedor que possibilite amenizar as marcas da violência
trazidas pela história de vida de cada um.
O psicólogo é o mediador entre o acolhido, a instituição, a família e o poder
judiciário. Trabalha com a promoção e a garantia dos direitos da criança e do
adolescente.
Ações desenvolvidas:
– Escuta qualificada com acolhidos e equipe;
– Acompanhamentos em saúde;
– Promoção de atividades lúdicas;
– Encaminhamento para psicoterapia quando necessário;
– Trabalho em grupo com os acolhidos e equipe,
– Acompanhamento das famílias;
– Capacitação, orientação, apoio e formação continuada com a equipe

O trabalho que a pedagogia social desenvolve na Casa do Pai vai além da
educação formal, busca acompanhar o desenvolvimento integral dos acolhidos e sua
vida escolar. Trabalha com o processo de formação continuada, visando inclusão social,
formação cultural e a promoção da autoestima das crianças e dos adolescentes.
Ações desenvolvidas:
• Acompanhamento escolar;
• Mediação de leitura;
• Reflexão sobre notícias e textos variados;
• Atividades motivacionais com jogos pedagógicos;
• Brincadeiras dirigidas;
• Atividades artísticas;
• Oficinas lúdicas;
• Informática;
• Orientação, apoio e formação continuada para a equipe;
• Busca por profissionais especializados caso a crianças necessite;
• Organização de ações que voluntários desenvolvem com os acolhidos;
• Acompanhamento familiar.

Vai muito além da aprendizagem formal escolar, busca também ensinar a aprender, não só conteúdos escolares, mas estimular o prazer pelo conhecimento e tudo o que abrange esse processo. Trabalha com o “ser que aprende” as influências do passado, a situação presente e perspectivas futuras. Ações: Acompanhamento escolar, busca por profissionais especializados caso a crianças necessite; atividades motivacionais com jogos pedagógicos, brincadeiras dirigidas, reflexão de notícias e textos variados, mediação de leitura, atividades artísticas e informática.

Contribui para a construção da identidade social das crianças e adolescentes, já que foram afastados judicialmente de suas famílias. Foca questões como: o respeito à individualidade e história de vida; o fortalecimento da autonomia de modo condizente com o processo de desenvolvimento e a aquisição de habilidades nas diferentes faixas etárias; e o direito ao brincar como atividade inerente ao desenvolvimento global da criança. Também proporciona um espaço de escuta onde a criança e o adolescente podem viver simbolicamente seus conflitos, conquistas, angústias e desejos, contribuindo assim na elaboração e resignificação da história de vida de cada um.

Oferece meios de expressão para que cada criança ou adolescente acolhidos conheça e se aproprie de sua história passada e presente. Voluntários atuam por um ano com o intuito de despertar na criança ou adolescente o prazer pela leitura e pelo mundo das histórias. A partir disso, são incentivados a serem os autores de suas próprias histórias, construindo um álbum de suas trajetórias de vida. São encontros semanais, durante um ano, para ler histórias e construir um álbum pessoal que a partir de relatos, depoimentos, fotos e desenhos que fazem parte de sua vida.
Este álbum seguirá cm a criança após deixar a instituição.

Visa ensinar crianças e adolescentes entre 05 e 13 anos a lidar com dificuldades que envolvam questões referentes, a saúde emocional, desenvolvimento de habilidades e auto-estima, para que se tornem mais aptas a lidar com problemas e crises na adolescência e idade adulta. Em seis módulos: Sentimentos, Comunicação, Relacionamento, Resolução de Conflitos, Lidando com Mudança e Perdas, Nós Sabemos Lidar com as Dificuldades.

Contribui para que crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social possam ter seus direitos garantidos. Visa promover o desenvolvimento psicossocial e a melhora da qualidade de vida das crianças, bem como oferecer treinamentos e aperfeiçoamentos para os profissionais envolvidos.

Desenvolvido pelo projeto RECRIAR busca propiciar laços afetivos, uma forma de convivência familiar, oferecendo a oportunidade da criança se relacionar dentro de outro ambiente, com novos exemplos de participação familiar e de cidadania dentro da sociedade. O Padrinho ou Madrinha é alguém que quer auxiliar, participar e acompanhar a vida de uma criança ou adolescente abrigado com remota possibilidade de adoção.

São jovens voluntários, que visitam periódicamente nossas crianças e desenvolvem atividades tanto recreacionais quanto culturais. Têm como objetivo despertar “Seus Sonhos”. Por isso, através do Lúdico, passam a mensagem de que sonhos perdidos devem ser resgatados, e o mais importante: Que as pessoas acreditem nelas mesmas.

Visa garantir a prática de esportes com o objetivo de melhorar a qualidade de vida e relacionamento interpessoal. A prática de esportes é fundamental pois aumenta a capacidade de aprendizagem, desenvolve outras aptidões e oferece oportunidade para uma vida mais saudável. Além de fazer bem à saúde, o esporte permite trabalhar, ao mesmo tempo a afetividade, as percepções, a expressão, o raciocínio e a criatividade.

Curso de Artes no Centro Juvenil de Artes Plásticas

 

Próximos Eventos: